Uno com esportividade concentrada

Teste: Uno com esportividade concentrada
Uno duas portas finalmente chega ao mercado e Fiat aproveita para lançar também a versão Sporting


A versão Sporting vem se espalhando por toda linha Fiat. O novo Uno era um dos raros modelos que estava de fora. E por motivos bem palpáveis. Se o sucesso do subcompacto impedia até que uma configuração duas portas fosse lançada, não havia sentido criar mais estímulos de vendas, como a criação de uma nova versão. O Uno Sporting já era prometido desde o Salão de São Paulo, onde foi exibido em outubro. Mas só agora a linha de produção recebeu um incremento – a capacidade foi ampliada em 50% e passou de 12 mil para 18 mil mensais, sendo 3.600 unidades destinadas ao mercado interno e 2.400 à exportação.
Com o Uno duas portas, a Fiat ataca com mais força em um segmento que responde por mais de 600 mil unidades mensais e que é o preferido dos frotistas e de muitos jovens. Ainda mais porque fica um pouco mais barato que a variante com quatro portas. A diferença fica entre R$ 1.650 e R$ 1.800, dependendo da versão. Com isso, o novo Uno mais barato passa a ser o Uno Vivave 1.0 duas portas, que começa em R$ 26.490 – antes, o novo uno de menor preço saía a R$ 28.140. A montadora prevê  que a nova configuração vá representar 30% das vendas no Brasil.

Já para a versão Sporting está prevista uma participação quase simbólica de 5% das vendas – a mesma que hoje tem a Attractive, versão que também só trabalha com a motorização 1.4 Fire, de 85/88 cv e 12,4/12,5 kgfm de torque. Apesar da falta de um motor mais nervoso, a Fiat tenta justificar o nome. Principalmente pelos ajustes que fez na suspensão, que deixa o novo Uno melhor disposto a um tratamento mais agressivo O curso da suspensão foi reduzido em 20 mm em função de uma redução da pré-carga das molas e os amortecedores são mais rígidos que os usados em outras versões. A barra de torção na frente ficou mais grossa – passou de 17 para 18 mm – e um reforço no eixo de torção traseiro aumentou a rigidez em 25%.



Além das alterações mecânicas, o Uno Sporting ganhou o tradicional traje esportivo da Fiat. São eles o farol com máscara negra, lanternas fumês, spoiler dianteiro e traseiro, aerofólio traseiro, ponteira dupla de escape e adesivos colados nas laterais. O compacto ainda recebeu caixas de rodas com detalhes em preto e novas rodas de liga leve de 15 polegadas. Três cores da carroceria também são exclusivas para a configuração: tons de amarelo, vermelho e laranja. Por dentro, foram adicionados detalhes em vermelho. Caso dos comandos do ar-condicionado e dos aros dos mostradores no painel de instrumentos – que também receberam grafismo exclusivo.

Se o visual é essencial na compra de um carro com apelo frente ao público jovem, o custo/benefício também não pode ser deixado de lado. Com isso, o Uno Sporting já vem equipado com direção hidráulica, computador de bordo – inédito na linha Uno –, faróis de neblina, travas e vidros dianteiros elétricos. Ar-condicionado, airbag duplo e ABS chegam apenas na lista de opcionais. A variante duas portas sai por R$ 32.170 enquanto que a com quatro portas custa R$ 33.970.

Completando o resto da linha do compacto da Fiat, estão o Vivace 1.0 – R$ 26.490 com duas portas e R$ 28.140 com quatro –, Way 1.0 por R$ 27.670 e R$ 29.320, Attractive 1.4 por R$ 29.840 e R$ 31.670 e o Way 1.4, custando R$ 30.650 e R$ 32.480.



Primeiras impressões

Agressividade insinuada

por Eduardo Rocha
Auto Press


Há alguns anos, a Fiat concluiu que brasileiro gosta de carro macio. E passou a aplicar esse conceito a seus modelos. Mas agora, com as versões Sporting, a marca está recuperando o gosto pelas suspensões mais europeias, firmes e de curso curto. Foi esse trabalho que o novo Uno enfrentou para ganhar a nova versão. O retrabalho da suspensão permite que o novo Uno usufrua melhor de sua arquitetura característica: um carro bem compacto com um bom entre-eixos e que oferece um “handling” semelhante ao de um kart.

Por isso é que a falta de motor no carrinho é tão evidente. A nova suspensão suportaria um propulsor com, pelo menos, 20 cv a mais e deixaria o carro bem mais divertido. Mesmo assim, com maior controle e menor rolagem, o novo Uno ficou um pouco mais ágil. O novo interior segue a mesma lógica do design, com duas decorações básicas: com botões e puxadores em vermelho e forração em preto ou com banco e volante com detalhes em vermelho e comandos em preto. As duas mantêm o tom descontraído e inusitado característicos do carrinho da Fiat.

0 comentários:

Postar um comentário